5 pontos de interesse para a Champions


A Liga dos Campeões está de volta. Até parece que não deixou de se disputar, mas tal deve-se às lembranças trazidas pela qualificação de acesso que terminou há semanas atrás

A qualificação envolveu equipas fracas como o Celtic e o Arsenal. Os londrinos contrataram Ozil desde que se qualificaram, mas os escoceses não. No entanto, e apesar da maioria das equipas não terem ou não contratarem Mesut Ozil, a Liga dos Campeões continua a avançar. O tempo passa. Segundo após segundo. Minuto após minuto. Hora após hora. Estão a perceber, certo?

Mas nem tudo é mau. A Liga dos Campeões voltou, o que significa que podemos ver a Liga dos Campeões. Aquele sentido de aborrecimento que temos ao ver os jogos da nossa liga serão aliviados por uma campanha mágica de grandes equipas renovadas e refrescadas. Que razões de queixa teremos agora? 

5. Conseguirá Pep Guardiola tornar-se ainda mais pretensioso?

Ele usa cashecóis. Que tipo de monstor usa cashecóis? Podemos clarificar isso. O tipo de homem que usa cashecóis chama-se Jonathan. Vive em Menilmontant, em Paris. As suas prateleiras estão ostensivamente repletas de clássicos literários, com as lombadas praticamente virgens. Ele gosta de especiarias finas, moídas, mas não tem uma colher para as servir. É um diletante e um charlatão, fingindo-se intelectual mas na realidade ensina em Sorbonne. É o Guardiola francês. Guardiola vai fazer de Phillipe Lahm um falso nove e irá inventar uma nova posição para o guarda-redes. Todos vão fingir que entendem e o Bayern de Munique será muito mais aborrecido esta época. Bom trabalho, 'Pep'!


4. Conseguirá José Mourinho ser ainda mais interessante?

Mourinho começou o seu renascimento no Chelsea com um estranho tributo a Gianluca Vialli: a vestir um uniforme escolar a fingir com a marca do Chelsea e a jogar mau futebol. Mas isso pouco interessa. Com Mourinho, os resultados são secundários. O que interessa é o espectáculo. O homem exala sensualidade e charme. Este é o único treinador no mundo que marca quem o vê, que pode ser visto na tv com o som desligado. Mas esta semana está na sua casa. Com o Porto fez reputação. Com o Inter ele encontrou-se com o diabo. A Liga dos Campeões foi feita para para a postura de Mourinho, fica mais absurdo a cada época. O que quer que faça, não estaremos à espera disso, mas ficaremos totalmente rendidos. Independente de que o Chelsea perca, o que interessa é a viagem, não o destino.

3. Quando é que Gareth Bale vai parar de fazer aquilo?

Vá lá, Gareth, está na altura de te sentires satisfeito. Tens o que querias. Tens uma bela camisola branca do Real Madrid apesar do tipo de letra horrível que está nas costas. A celebração de golos habitual? Não estamos no "The Only Way is Essex", estamos na Liga dos Campeões. A estúpida linha que te separa do festejos da tua equipa? Não estamos no "The Only Way is Essex", estamos na Liga dos Campeões. A obsessão contigo mesmo? O Cristiano Ronaldo é um génio de trabalho e imaginação, tu és um atleta com um remate ridiculamente preciso. Ninguém se vai lembrar do teu cabelo ou festejos. Pára de festejar e começa a jogar como um adulto.

2. Mais amor pela Bundesliga

Preços baixos para os bilhetes, cerveja, jogadores excelentes. Não faz mal nenhum em elogiar as equipas da Bundesliga, mas não dá para trocar de equipa agora. Por mais que se queira. Se é um adepto do Celtic, não há maneira de adoptar uma segunda equipa só porque é adepto de um clube que o deixa triste.


1. Quando é que irá um dos olhos de David Moyes saltar-lhe da cara devido à pressão?

Quase parece cruel. Havia pessoas disponíveis que conseguiriam lidar com aquela pressão toda da direção, que esperam que a equipa lute quer pela Liga dos Campeões, quer pela Liga Inglesa. Treinadores como Carlo Ancelotti, José Mourinho ou Pep ‘O Poeta’ Guardiola, por exemplo. No entanto, Alex Ferguson decidiu legar o Machester United, com um Wayne Rooney em guerra civil, um presidente inexperiente e Ashley Young, a um treinador do Everton. Não que Moyes seja um mau treinador, apenas não está adaptado a este tipo de pressão.

Pelo menos podemos ver Moyes sob uma enorme pressão agora. Ficaremos a saber como lida com um grande clube. Poderá correr tudo bem, mas a pressão vai fazer-se sentir na Liga dos Campeões. Parece que está sempre à beira de se virar para bancada a gritar e a esbracejar, cedendo à enorme pressão de tudo o que rodeia o seu posto. Ou poderá ser que se safe e que cresça com esta experiência. Não é provável, mas pode acontecer.

Aposte na Liga dos Campeões 2013-14 com a Unibet.