Apostas F1: Hamilton ao ataque com uma Mercedes em recuperação


Enquanto o mundo do futebol inicia a nova época, a segunda metade da époda de Fórmula Um está prestes a começar na Bélgica.

A equipas regressam após a pausa de quatro semanas para uma agenda agitada de nove corridas ao longo de catorze fins-de semana. No primeiro visita uma pista que é das mais aclamadas e famosas do calendário: o majestoso traçado de sete quilómetros de Spa-Francorchamps, que rasga um percurso deliciosamente rápido pela floresta das Ardenas.

Antes da pausa a Mercedes disparou o tiro de aviso à riva Red Bull na Hungria. Lewis Hamilton teve a primeira vitória da época, no tipo de condições a que o seu carro menos se adapta, mostrando que tem o potencial para encurtar o seu atraso de 48 pontos no campeonato de pilotos em relação ao líder Sebastian Vettel.

Mas é no campeonato de construtores que residem as quotas mais interessantes do momento. A Red Bull é, naturalmente, favorita à manutenção da coroa com uma quota baixa de 1.08. Mas a Mercedes, que possui o carro mais rápido em qualificação em oito das dez provas disputadas até agora, parece estar agora ter um carro que é igualmente rápido ao longo da distância de corrida, oferecendo quotas bem mais atraentes de 8.00.

É uma proposta bem interessante. A Mercedes está 79 pontos atrás da Red Bull mas ainda existem 387 pontos em disputa ao longo das restantes nove corridas. Ambos os pilotos da Mercedes venceram corridas esta época, enquanto a força da Red Bull recai sobre Vettel, pois tem-se evidenciado sobre Mark Webber em todas as corridas disputadas até agora.

Quotas para o GP da Bélgica


Sem surpresa, são os pilotos da Red Bull e Mercedes que oferecem as quotas mais baixas para a vitória neste fim-de-semana. Hamilton está com 3.75, e poderá ser melhor aposta que Vettel com 2.75, mas nenhum deles dá grande retorno monetário.

Será insensato descartar Kimi Raikkonen num circuito em que já venceu por quatro vezes. Apesar do ritmo de corrida dos Lotus ser muito forte, são mais fracos na qualificação e tendem a arrancar numa posição mais recuada da grelha, ficando em desvantagem.

As retas longas de Spa abrem boas oportunidades de ultrapassagem, tal como na maioria dos circuitos, por isso pode ser uma ameaça na corrida. Está com 5.50 para marcar a segunda vitória para a Lotus de 2013.

Espantosamente, e apesar de dois títulos mundiais e 32 vitórias em 19 circuitos diferentes, Fernando Alonso nunca ganhou em Spa-Francorchamps. É um daqueles dados que leva a uma segunda visualização. Se consegue retificar esta falha este ano, ou não, é algo que depende do progresso que a Ferrari tenha feito durante a pausa, após corridas desapontantes na Alemanha e na Hungria.

As relações entre Alonso e Ferrari parecem estar a arrefecer. O presidente Luca di Montezemolo terá deixado passar aos comentários do asturiano no final da corrida da Hungria. Quando lhe perguntaram qual a prenda que mais queria pelo seu aniversário, Alonso replicou "um carro como os outros". Num artigo no site da marca italiana disse que o seu comentário -  que até aí não teriam muita difusão - não caíram bem a Montezemolo, nem a nenhum elemento da equipa.

O diretor da equipa, Stefano Domenicali, menosprezou a especulação sobre uma crescente abismo entre a equipa e o piloto, enfatizando que o propósito de todos é melhor o desempenho do F138. Tudo será perdoado e esquecido se a equipa regressar às lides da vitória este fim-de-semana. Alonso tem quotas muito interessantes de 8.00 para o fazer.

Aposte no Grande Prémio da Bélgica com a Unibet.