GP Abu Dhabi: Grosjean & Rosberg podem ofuscar Vettel


Ao assegurar o seu quarto título mundial no último fim-de-semana, Sabastian Vettel atinge um nível de domínio da modalidade que apenas é igualado por um grupo muito restrito de pilotos.

O triunfo no Grande Prémio da Índia foi o sexto consecutivo. Apenas dois pilotos conseguiram uma série semelhante de vitórias: Alberto Ascari nos anos 50 do século XX e Michael Schumacher há nove anos atrás.

Será que o alemão consegue prolongar a série até sete vitórias em Abu Dhabi, este fim-de-semana? A quota pela vitória foi encurtada para apenas 1.40.

Vettel venceu os dois primeiros grande prémios disputados no traçado de Yas Marina, em 2009 e 2010, com o segundo triunfo a servir também para a conquista do título de forma inesperada, pois a luta nessa época parecia ser apenas entre Fernando Alonso e Mark Webber.

Mas desde então, a sorte nunca mais quis nada com alemão manifestando-se de forma espectacular. Em 2011, esmagou a oposição na qualificação e assegurou a pole, parecendo encaminhado para mais uma vitória. Mas um dos seus pneus sofreu uma falha depois de decorridos apenas algumas centenas de metros na corrida.

No ano passado estava envolvido numa tensa batalha pela coroa de campeão com Alonso e não conseguiu se qualificar para a primeira linha da grelha de partida. Depois, o azar bateu-lhe à porta quando ficou sem gasolina antes de conseguir regressar às boxes e foi obrigado a partir a partir do final do pelotão. Foi o prelúdio de uma impressionante corrida de recuperação até ao terceiro lugar.

Estes exemplos mostram que o sucesso de Vettel não é eterno. Talvez seja infeliz pela terceira vez em Abu Dhabi.


Grosjean em ascenção

Qual dos rivais de Vettel estará em melhor posição para se aproveitar dos problemas que poderá enfrentar? Alonso conseguiu três segundos lugares consecutivos há pouco tempo, mas a Ferrari está sobre muita pressão. Os italianos desceram para terceiros no campeonato de construtores, ficando atrás da Mercedes, e ainda podem ser ultrapassados pela Lotus.

Vale a pena acompanhar a equipa de Enstone com atenção. Kimi Raikkonen venceu esta corrida no ano passado, mas o seu colega Romain Grosjean está com vantagem.

Com a saída do finlandês para a Ferrari em 2014, Grosjean tem feito um excelente trabalho de demostração das suas qualidades com vista a liderar a formação na ausência do campeão do mundo. Mas a situação tem mais variáveis. O equilíbrio de forças na F1 mudou com as mudanças nos pneus. Para além disso, Grosjean parece estar cada vez mais satisfeito com o desempenho do seu Lotus.

"As mudanças mais recentes, como o aumento da distância entre eixos, estão a funcionar bem e a mudança de especificações de pneus pela Pirelli a meio da época parece ter beneficiado o nosso piloto", de acordo com o chefe de equipa Eric Boullier. As quotas de 15.00 em caso de vitória por Grosjean fazem dele o terceiro favorito e uma escolha bem interessante. Ele tem terminado no pódio nas últimas três corridas, a última das quais partindo de um improvável 17.º lugar da grelha.

 

"Subestimado" Rosberg

Outro piloto que vale a pena considerar, e que também esteve no pódio na Índia, tem sido "subestimado" nas palavras do agora tetra-campeão. Nico Rosberg tem tido uma boa época pela  Mercedes, estando à altura do colega Lewis Hamilton.

Durante muito tempo foi esperado que Hamilton ganhasse paulatinamente vantagem no seio da Mercedes com o decorrer da época. Mas no fim-de-semana passado Rosberg qualificou-se e terminou a corrida à frente do seu companheiro de box. Terminou em segundo enquanto o britânico foi descendo até sexto.

No começo da sua carreira, Rosberg esteve muito bem no confronto com Webber, que agora acompanha Vettel na Red Bull. Por isso é que Vettel está muito atento a ambos os pilotos da Mercedes. As quotas para uma vitória de Rosberg são altas, 30.00, o que vem dar razão a Vettel quando diz que não lhe atribuem o valor devido.

Adaptado de Keith Collantine, editor do blog sobre Fórmula Um F1 Fanatic.