GP EUA: Quotas aumentam para os rivais de Vettel recordista


Sebastian Vettel continua a escrever a história da Fórmula Um e neste fim-de-semana poderá quebrar um dos mais antigos recordes de todos os tempos.

Já passaram 60 anos desde que Alberto Ascari venceu sete provas consecutivas, um feito que mais tarde Michael Schumacher igualou, mas que nunca foi quebrado. Vettel poderá fazê-lo no domingo.

Nesta fase do campeonado a maior ameaça ao alemão da Red Bull será provavelmente um erro por parte da equipa, já que os rivais tardam em ripostar.

O que vimos em Abu Dhabi mostra que apesar de o colega Mark Webber o colocar sob pressão na qualificação, manter essa pressão ao longo da extensão da corrida é um assunto completamente diferente. A vantagem de Vettel chegou a ser mais de 40 segundos durante a corrida.

Como já vimos várias vezes ao longo desta temporada, a Red Bull pode ser a sua pior inimiga. Vettel deixou escapar uma vitória quase certa em Silverstone por problemas de caixa de velocidades. Webber abandonou a corrida quando ia em segundo na Índia, devido a problemas de alternador. Parte do espantoso desempenho do RB9 vem em detrimento da fiabilidade. Esta é uma caraterística comum a muitos dos carros projectados pelo principal técnico da equipa, Adrian Newey. Outra caraterística comum é a de vencerem muitas corridas.

Em virtude destas caraterísticas, as quotas da Red Bull continuar a vencer este fim-de-semana são extremamente curtas. Um RB9 na pole position tem 1.07 e uma vitória com um destes monolugares tem 1.10 de quotas. São as mais baixas que alguma vez vimos este ano.

 

Lotus afetada pela saída de Raikkonen

No entanto, as quotas dos rivais da Red Bull estão bastante grandes. A Mercedes, por exemplo, e apesar de terem conseguido a pole position por oito vezes este ano, estão em 7.00 para repetir esta posição no Circuit of Americas. As quotas para Nico Rosberg ou Lewis Hamilton vencerem a corrida são de 12.00.

As perspetivas para a Lotus este fim de semana ficaram bastante piores quando Kimi Raikkonen decidiu falhar as duas últimas corridas para ser operado nas costas antes de ingressar na Ferrari para 2014.

Ao perder o campeão de 2007, que já venceu por duas vezes nos últimos 12 meses, só pode prejudicar as esperanças da Lotus em bater a Ferrari pelo terceiro lugar no campeonato de construtores. Kimi revelou em Abu Dhabi que a Lotus não lhe pagou durante este ano, o que só enfraqueceu qualquer posição negocial que a equipa teria.

No entanto, o E21 é um monolugar competitivo e Romain Grosjean tem terminado nos primeiros quatro lugares nas últimas quatro corridas. A pole para a Lotus está cotada com 15.00, mas para a corrida estão ao nível da Mercedes, por 12.00.

adaptado de Keith Collantine, editor do blog de Fórmula Um F1 Fanatic