GP Japão: uma boa razão para apostar contra Vettel


Existem bastas razões para considerar Sebastian Vettel como favorito à vitória no Japão, no próximo fim-de-semana.

O alemão tem exibido uma forma invejável, estando bem perto de igualar o domínio de Michael Schumacher em 2004. Ele venceu por seis vezes nas últimas oito corridas, incluindo o GP do Reino Unido, onde Vettel liderava até ser traído pela caixa de velocidades do seu RB9.

É pouco provável que esteja abaixo de forma em Suzuka. Todas as vezes que lá competiu, assegurou a pole position. O monolugar da Red Bull tem sido a ferramenta ideal para desenhar as excitantes curvas de alta velocidade deste circuito desde que voltou ao calendário em 2009.

Desde então, já lá venceu por três vezes. Falhou a vitória apenas em 2011, porque estava mais interessado em assegurar os pontos que lhe garantiram o título de bi-campeão.

Como é fácil ver, temos Vettel com uma forma excelente e com um registo avassalador em Suzuka. Teríamos que ser loucos para apostar contra ele.

Talvez. A lei das médias mais cedo ou mais tarde terá de se faz sentir. Todas as séries de vitórias chegam ao fim. Vettel, que está com quota de 1.55 para vencer na ilha dos samurais, venceu quatro corridas seguidas e a história mostra que é muito improvável que um piloto vença uma sequência de cinco corridas.

Raro? Apenas cinco pilotos ao longo dos mais de 60 anos de história da F1 conseguiram. Schumcher foi quem o conseguiu mais recentemente, assim como já o conseguiram Nigel Mansell, Jim Clark, Jack Brabham ou Alberto Ascari.

Qualquer observador com conhecimento de probabilidades dirá que só porque Vettel conseguiu quatro vitórias, isso não fará com que seja menos provável que vença uma quinta prova. Mas se é preciso uma razão para apostar em outro piloto que não seja o alemão, a raridade do feito será um ponto de partida. Aliás, é a única maneira de encontrar quotas que compensem.

 

Olhemos para a Mercedes e para a Lotus

Suspeito que a Mercedes será a principal rival da Red Bull ao longo deste evento, pois são a única equipa que tem evitado que a pole fica nas mãos de um dos RB9.

Duas das três vitórias que obtiveram nesta época foram conseguidas a partir desta posição, tendo mantido os adversários atrás de si mas muito perto no decorrer ca corrida. Nico Rosberg fez isto no Mónaco e Lewis Hamilton imitou-o na Hungria.

Suzuka é uma das pistas onde esta estratégia poderá funcionar. Ultrapassar é muito complicado ao longo do compacto traçado japonês. Ao contrário da maioria das outras pistas, nesta só existirá uma zona de DRS, o que ainda dificulta mais a missão de quem quer ultrapassar. Hamilton está com quotas de 3.50 para obter a primeira posição na grelha, e com 7.00 para vencer a corrida, o que faz ponderar a aposta no britânico.

A Ferrari parece ter perdido o rumo desde que a Pirelli introduziu alterações ao composto dos pneus, a meio da época. Alonso poderá ser o piloto que está mais perto de Vettel nas contabilidade do campeonato, mas está tão atrasado que o piloto da Red Bull poderia passar os próximos três grande prémios na praia sem que perdesse a liderança da tabela dos pilotos.

Também estaria muito tentado em apostar em Romain Grosjean, na Lotus. Tem subido de forma nestas últimas provas, qualificando-se dentro dos três primeiros nas duas últimas sessões. O E21 continua a ser um dos melhores monolugares a extrair potencial dos pneus. Uma das desilusões do passado domingo foi a de uma entrada do Safety Car ter impedido de ver se Grosjean estaria à altura de roubar a vitória a Vettel.

Se o conseguir este fim-de-semana, com quotas de 15.00, o piloto francês e o seu engenheiro japonês Ayao Komatsu serão uma aposta muito interessante.


Consulte todas as quotas da Unibet para o Grande Prémio do Japão.

Adaptado do original por Keith Collantine, editor do blog F1 Fanatic.