GP Mónaco: Red Bull Apostada em Travar a Marcha da Mercedes


Será que a Mercedes vai vencer todas as corridas este ano? Nunca uma equipa conseguiu vencer todas as corridas de uma época mas, após as primeiras cinco corridas de 2014, a Mercedes parece capaz de o fazer.

Nestas cinco corridas já disputadas as 'flechas de prata' beneficiaram de uma margem de 7 a 8 décimas de segundo por volta sobre os seus rivais. Pode não parecer muito, mas na F1 esta é uma margem enorme. Percorrida a distância regulamentar de corrida (pouco mais de 300 km) a vantagem cifra-se em 40 segundos para a oposição, o que explica porque os Mercedes W05 Hybrid lideraram todas as voltas desde o primeiro GP.

Mas se vão ser batidos em algum circuito, o principado do Mónaco é o local ideal. Por várias razões: A vantagem dos monolugares anglo-germânicos está centrada na potência da unidade motriz híbrida Mercedes, assim como nos consumos de combustível mais contidos. Mas não são essas as características que vencem corridas nas ruas do Principado. O traçado lento, apertado e estreito deste circuito urbano exige um carro com excelente tração mecânica e o máximo de aderência gerada por apoio aerodinâmico.

Assim sendo, a Red Bull tem que iniciar este fim-de-semana com a crença de que esta será a melhor oportunidade para interromper o domínio da rival Mercedes. A maior pecha do RB10 - a sua reduzida velocidade em reta - será de menor importância, e as qualidades do chassis desenhado por Adrian Newey serão muito mais preponderantes. Apesar destas vantagens, Sebastial Vettel e Daniel Ricciardo terão que estás no topo de forma para conseguirem se imiscuirem na luta dos Mercedes pela 'pole position'. 

A sessão de qualificação tripartida de sábado é uma parte muito importante do jogo neste GP à beira do Mediterrâneo. É pouco vulgar que esta corrida seja vencida por outro piloto que não o que sai da primeira posição da grelha, já que ultrapassar durante a corrida é virtualmente impossível. Há muito em jogo em cada volta lançada.

É por isso que existe o hábito de se conhecerem vencedores inesperados no Mónaco. Se recuarmos uma década, Michael Schumacher venceu as 13 primeiras corridas de 2004 à exceção da corrida monegásca - onde Jarno Trulli assinalou a única vitória da sua carreira. Vettel pode ter vencido os últimos quatro campeonatos do mundo consecutivamente, mas nesse período só venceu uma vez nesta pista, ao contrário do seu colega de equipa Mark Webber, que ergueu o troféu de vencedor por duas ocasiões.

Por isso, e apesar de ser complicado reparar noutro piloto que não um que tripule um Mercedes, e para as suas deprimentes quotas baixas em caso de vitória, 1.60 para o vencedor de 2008 Lewis Hamilton, 2.50 para o vencedor do ano passado Nico Rosberg - os pilotos da Red Bull não podem ser descartados. Sebastian Vettel está cotado com 10.00 e Daniel Ricciardo com 14.00.

As apostas no pódio também apresentam quotas interessantes. Kimi Raikkonen, que partiu da primeira linha da última vez que tripulou um Ferrari no Mónaco, está com 7.50 para conseguir a sua primeira subida ao pódio desde que regressou à Scuderia. Raikkonen foi o único piloto que participou nos dois dias de testes no Circuit de Catalunya que se seguiram à última corrida, fornecendo uma maior oportunidade para se preparar para o programa deste fim-de-semana.

Ele é um dos seis anteriores vencedores nesta pista que estarão presentes, grupo que também se inclui o seu colega de equipa Fernando Alonso 22.00 pela vitória e 2.75 para finalizar a corrida no pódio assim como o piloto da McLaren, Jenson Button com 125.00 para vencer e com 20.00 para um pódio.

As quotas para qual dos pilotos leva a melhor ao seu colega de equipa também merecem uma leitura atenta. Sérgio Perez, que costuma andar bem nas ruas do Principado, está com 2.40 para bater o colega da Force India, o alemão Nico Hulkenberg. E apesar de Pastor Maldonado ter uma reputação duvidosa, e de ainda não ter batido em qualificação o seu colega Romain Grosjean este ano, é inegavelmente rápido em circuito urbano. Está avaliado com 2.10 para ser o Lotus melhor colocado na grelha para a corrida de Domingo.

Keith Collantine é o editor do blog Formula One blog F1 Fanatic. Adaptado por Nuno Miguel Delgado.